Banner

⠀

Posse do Senador Giordano e a Compra de Vacinas


Alexandre Luiz Giordano, de 47 anos, é o mais novo Senador da República, empossado nesta quarta, 31 de março de 2021, representando o Estado de São Paulo pelo Partido Social Liberal (PSL), terá como suplente o atual Ministro da Ciência e Tecnologia, o Tenente-Coronel Marcos Pontes

Giordano é empresário e politico desde 2005, tem a incumbência de substituir o Major Sérgio Olímpio Gomes falecido em 18 de março deste ano em decorrência da covid-19 e vitorioso das urnas como o Senador mais votado na história do Parlamento por São Paulo. Nesta sessão de posse do Senador Giordano já foi possível “causar” ao endossar o coro pela aprovação de uma proposta de emenda a Constituição bem como em apresentar projeto de lei de sua autoria para complementar a referida proposta.

Compromissos do Senador Giordano

O senador Giordano se comprometeu em honrar os mais de 9 milhões de votos recebidos pelo Major Olímpio e fez uma breve explanação sobre sua vida pregressa, a qual declarou ter sido vendedor de cachorro quente pelas ruas da região da 25 de março na cidade de São Paulo, no entanto não explanou sobre já estar na vida pública como político em que participou dos quadros do Partido Verde (PV) de 2005 a 2016, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) de 2016 a 2018 e do PSL desde então.

Acredita que por ter trabalhado nas ruas como ambulante com sua mãe a fim de suprir necessidades básicas para poder comer, dormir e morar entende o quão faz falta a presença do Estado no atendimento às necessidades básicas das populações mais carentes e, portanto deseja dedicar seu mandato a defender a igualdade social através da reforma tributária e reforma administrativa.

Tendo o empresário como um agente essencial a qualquer economia livre, pretende apoiar o setor, pois acredita precisar ser motivado com simplificação do sistema tributário que seja justo e equilibrado, o qual o vê neste momento como confuso, para que haja investimentos e crescimento econômico com intuito em gerar emprego e renda a fim de garantir a dignidade humana a todos os brasileiros.

Defende uma Reforma administrativa do Estado com o objetivo de otimizar recursos humanos e modernização da maquina pública para prestação do serviço publico de qualidade ao cidadão.

Vanderlan Cardoso deseja a comercialização de Vacinas

E não se furtando ao momento pandêmico, Giordano pede a aprovação de proposta de emenda a Constituição PEC 04/2021 de autoria do Major Olímpio, apresentada pelo Senador Otto Alencar do Partido Social Democrático (PSD-BA) e defendida em plenário nesta mesma sessão pelo Senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) a qual prevê Imunidade tributária por 5 anos para aquisição de vacinas pelo setor privado, o que pode ocasionar segundo alguns Senadores uma corrida pela vacina por quem possa pagar fazendo com que haja injustiça social e deixe de prevalecer o calendário de priorizações elaborado pelo Ministério da Saúde (MS), o que foi defendido por Vanderlan Cardoso como natural, pois se a pessoa tiver dinheiro para pagar que pague, independente da falta aos demais cidadãos, negligenciando desta forma que a lei de mercado pode desfavorecer a aquisição de vacinas pelo governo devido a corrida de quem tiver dinheiro para a sua aquisição. Nesta mesma linha o novo Senador apresentou seu primeiro projeto de lei o qual visa dedução de imposto de renda das pessoas físicas e jurídicas nas aquisições de vacinas como mais uma forma de incentivar a vacinação no brasil.

Contudo o Senador Giordano acredita que para salvar mais vidas, e recuperar a economia é necessário a vacinação em massa. Porém na contramão de seu discurso inicial em que retorna aos labirintos da região central da maior cidade do País, esquece-se que ao provocar uma corrida pela vacina para quem mais tiver poder aquisitivo além de dar-lhes benefícios tributários, deixa os menos desfavorecidos alheios à própria sorte, pois oneraria mais ao Estado os custos da vacinação, uma vez que havendo fomentação ao mercado, os preços subiriam acarretando problemas para o Governo fazer as compras com preços justos e distribuição equitativa a todos os brasileiros. Portanto Giordano, Otto, Vanderlan e outros Senadores de nossa República buscam favorecer o empresariado de forma descabida em um momento crucial e vexatório para a humanidade e, por conseguinte aos brasileiros principalmente os menos favorecidos.

Defesa da Vacina Para Todos Através do Estado

Dentre outros senadores, o Senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), o Senador Rogério Carvalho (PT-SE), a Senadora Kátia Abreu (PP-TO), também o Presidente do Congresso Nacional Rodrigo Pacheco saíram em defesa da compra de vacinas somente pelo governo, pois todos são contra a concorrência, a modificação do último projeto aprovado, e principalmente pelo momento crítico em que o país se encontra em que não há disponibilização de vacinas no mundo. Desta feita o Senador Confúcio Moura (MDB-RO) Presidente da Comissão Temporária Covid-19 em resposta ao Senador Vanderlan e àqueles que defendem a comercialização de vacinas neste momento, explanou a necessidade de vacinas para os grupos prioritários nos próximos 90 dias e que “um plano de negócios podem ter três versões, sendo elas a pessimista, a otimista e a realista e a morte parece que não nos espanta mais...”. O Referido Senador falou do momento critico por qual passam nossas crianças e jovens do ensino básico, de escolas fechadas ou abertas com capacidade reduzida, da falta de tecnologia, e coloca a pandemia como monstro destruidor que se alastra sobre a população brasileira e prioritariamente sobre os mais pobres, as comunidades isoladas e os pequenos municípios com as mortes e o aleijamento da educação.

Por Antonio Oliveira 



Acesse nosso grupo no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/JBJD6YZE0scBGAqHecmyD6
Conteúdo e Notícias
Leia a descrição

Inscreva-se



Instagram Siga nosso Instagram  

Curta a FanPage

Postar um comentário

Comentários