Banner

Distrações no trânsito são uma das principais causas da "epidemia" de acidentes


Seguradora mapeou tais causas de acidentes e traz dicas para evitar que eles continuem acontecendo, pois nem mesmo a pandemia da covid-19 reduziu sua incidência


Ainda que estejamos vivendo uma pandemia, as cidades brasileiras continuam sob o impacto de algo anterior a ela: o trânsito.

O Brasil segue registrando uma média anual de 30 mil óbitos causados por acidentes, e 70% das vítimas são jovens entre 18 e 34 anos, segundo o DataSUS, com base nas informações do seguro DPVAT.

Com a população cada vez mais vacinada e o retorno acentuado de diversas atividades, como aberturas de bares, teatros, cinemas e estádios de futebol, espera-se crescimento nos níveis do tráfego e, infelizmente, o aumento de acidentes. Pensando nisso, a área de Engenharia de Riscos da seguradora Zurich preparou uma série de dicas visando ao aumento da consciência a respeito dos cuidados no trânsito e de uma de suas maiores causas: a distração.

Segundo o engenheiro Tiago Santana, gerente do time de Engenharia de Riscos da Zurich no Brasil, há três tipos de distração ao volante:

Visual (como teclar mensagem de texto);
Motora (como naquele momento em que o motorista tira as mãos do volante e os olhos da estrada para pegar objetos);
e cognitiva (como falar ao celular).

Todas são consideradas infrações graves. Ele dá um exemplo: a 60 km/h, em apenas 2 segundos o veículo percorre 34 metros às cegas. E tem mais: sobre o celular, ressalta que o recurso de colocar no viva-voz não reduz os riscos.

"De acordo com mais de 30 estudos e relatórios de pesquisas científicas, o uso de dispositivos com comando de voz ou viva-voz não é tão diferente de manusear um telefone em termos de segurança, independentemente da legalidade do uso de um em relação ao outro, pois não reduz a distração cognitiva. Quando uma pessoa se concentra em uma conversa ao invés da estrada, isso pode prejudicar seu raciocínio e como consequência a sua direção. A dica é planejar suas ligações", pontua o engenheiro.

Ele aponta ainda que distrações também podem fazer com que o condutor exceda os limites de velocidade ou o desrespeito às distâncias dos veículos à frente. Ouvir som alto, maquiar-se e olhar-se no espelho, conversar com outros passageiros, entreter-se com placas, assistir vídeos e até distrair-se olhando outros acidentes são as principais causas das ocorrências nas cidades e nas estradas.

"Infelizmente, uma epidemia se espalhou e as pessoas estão ignorando os perigos de dirigirem distraídos, cujas estatísticas atuais mostram que entre 25% e 50% de todas as colisões de veículos estão associadas à distração durante a direção", alerta Tiago.

Dicas para gerir as distrações no trânsito

Uma das maiores seguradoras do mundo e do Brasil, a Zurich, que foi a primeira a oferecer ao mercado nacional seguro para veículos elétricos e híbridos, a companhia faz a sua parte ao oferecer aos clientes do seu seguro auto o app "Zurich Driver". Por meio de inteligência artificial, o aplicativo auxilia os motoristas com questões como frenagem, aceleração e velocidade, além de direção distraída. É com relação a este último tópico que a companhia dá as seguintes dicas:

• Evite falar ao telefone enquanto dirige. Se necessário, encontre um local seguro para sair da estrada. Desligar o celular ou colocá-lo no modo silencioso antes de entrar no veículo é um meio de evitar que ele o distraia.


• Familiarize-se com os recursos do veículo, principalmente se for alugado, que podem ser diferentes do seu.

• Faça um ajuste prévio do rádio, banco e retrovisores, e da temperatura.

• Guarde itens que podem se mover enquanto o veículo estiver em movimento. Evite fumar, comer e beber enquanto dirige.


• Para lidar com as crianças com segurança, saia do trânsito e pare o veículo.

• Faça sua rotina de cuidados pessoais em casa, não no carro. Barbear-se ou fazer a maquiagem irá tirar as suas mãos do volante e seus olhos da estrada.

• Revise as rotas indicadas pelo GPS antes de iniciar o trajeto; isso pode evitar longas distrações no decorrer do caminho.

• Peça a um eventual passageiro para te auxiliar em atividades que possam te distrair, como no manuseio do GPS, por exemplo.

"As inovações podem nos ajudar a resolver alguns problemas enquanto criam outros ao mesmo tempo. Entender os riscos da distração ao volante e tomar medidas preventivas para minimizar esse risco podem ajudar os motoristas a evitar sérias lesões ou a morte. Lembre-se sempre que, o que quer que esteja te distraindo, certamente não vale arriscar a sua própria vida ou a vida de outros. As suas ações fazem a diferença", finaliza Tiago.

----


Acesse nosso grupo no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/JBJD6YZE0scBGAqHecmyD6
Conteúdo e Notícias
Leia a descrição

Inscreva-se



Siga nosso Instagram  

Curta a FanPage

Postar um comentário

Comentários