Banner

20ª Goiânia Mostra Curtas está com inscrições abertas para oficina e aula


Assim como todo o festival, as atividades formativas acontecerão de forma online e gratuita. Interessados podem se inscrever até 15 de novembro


Os interessados em participar das atividades formativas da 20ª Goiânia Mostra Curtas já podem se inscrever. O prazo segue até 15 de novembro. Assim, como toda a programação desta edição, o público poderá participar de forma online e gratuita.

A edição de 2021 será realizada de 23 a 28 de novembro, e marca os 20 anos de festival, que acontece desde 2001.

Na aula de Silvia Cruz, fundadora da Vitrine Filmes, que atua na distribuição de filmes independentes brasileiros, o tema abordado será “Distribuição cinematográfica e mercado audiovisual brasileiro”. Nos dias 25 e 26 de novembro, das 10h às 12h, o público conhecerá mais sobre o cenário audiovisual brasileiro nas suas batalhas e conquistas dos últimos anos, além de possíveis modelos de negócio dentro do cenário social e econômico atual.

Fundadora da Vitrine Filmes, Silvia Cruz começou a carreira na Pandora Filmes, onde atuou na distribuição e exibição de filmes de arte. Trabalhou na distribuidora Europa Filmes e na produtora Coração da Selva. Em 2010, Silvia fundou a Vitrine Filmes, que se dedica à distribuição de filmes, sobretudo brasileiros, investindo, assim, no crescimento e na valorização do cinema nacional. À frente da Vitrine, Silvia foi a responsável por grandes lançamentos que já somam mais de 4 milhões de espectadores, destacando-se filmes como “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” (Daniel Ribeiro); “O Processo” (Maria Augusta Ramos); “Bacurau” (Kleber Mendonça Filho, Juliano Dornelles); “A Vida Invisível” (Karim Aïnouz) e muitos outros.

A oficina “Narrativas Documentais” será ministrada pelo diretor Cristiano Burlan nos dias 25, 26 e 27 de novembro, das 14h às 17h. O objetivo é levar os participantes a uma reflexão sobre os meios e modos de produção e realização do documentário no Brasil, buscando compreender se existe uma distinção entre documentário e ficção.

Cristiano Burlan mergulha em temas como violência policial, feminicídio e questões de classe com a realização da Trilogia do Luto, composta pelos documentários “Elegia de um crime”, “Mataram meu irmão” e “Construção”. A partir do compartilhamento de seus processos criativos também nos documentários “Estopô Balaio”, “No se mira impunemente”, “Nelson Felix, método poético para descontrole de localidade”, “Sermão dos Peixes” e “Imaginário”, o diretor propõem uma reflexão sobre os meios e modos de produção e realização do documentário no Brasil, buscando compreender se existe uma distinção entre documentário e ficção. Existe uma situação ideal para se criar? Através da perspectiva da direção e produção independentes, o curso busca refletir sobre a atual produção documental brasileira. Documentários baratos, urgentes, pessoais e sem apoios institucionais, que nos remetem a um momento potente do cinema latino-americano, em que a falta de recursos estava diretamente ligada a sua estética, o que não significava a realização de filmes menores.

Para participar das atividades, basta se inscrever pelo SITE.

Os candidatos passarão por análise curricular e a lista dos selecionados será divulgada no dia 18 de novembro. As vagas são limitadas, mas é possível se inscrever em mais de uma atividade. A programação da 20ª Goiânia Mostra Curtas contará também com mostras, debate, palestra, bate-papo, pocket show, entre outras atividades.

Mais uma vez estamos trazendo profissionais de renome nacional na área do audiovisual, justamente para dar esse aparato e essa visão do cenário atual que vivemos, mais desafiador do que nunca”, reflete a diretora-geral e produtora da Goiânia Mostra Curtas, Maria Abdalla.

O festival

De 2001 para cá, cerca de 290 mil pessoas participaram do evento e mais de 2 mil filmes foram exibidos. O festival também realizou 68 oficinas, 17 painéis, 48 debates, 58 encontros, e teve 105 homenageados. E nas últimas edições inovou com a Feira Audiovisual, contendo atividades de capacitação e formação no mercado audiovisual.

A programação sempre traz mostras permanentes: Curta Mostra Brasil, Curta Mostra Animação, Curta Mostra Goiás, e Mostrinha. Todas essas mostras são livres e, assim como o festival como um todo, abraçam todos os gêneros, formatos e pautas. E a cada ano também apresenta a Curta Mostra Especial, com uma temática específica. Este ano o tema será “Nós somos a guerra”, com a curadoria de Kênia Freitas, pesquisadora e crítica de cinema.




Acesse nosso grupo no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/JBJD6YZE0scBGAqHecmyD6
Conteúdo e Notícias
Leia a descrição

Inscreva-se



Siga nosso Instagram  

Curta a FanPage

Postar um comentário

Comentários