Banner

Programa Goiás de Resultados e Secretaria da Educação avaliam projetos


Ações geram resultados práticos no acesso, permanência e êxito dos estudantes, com avaliações dos conhecimentos, diagnóstico de fragilidades e avanços em cada unidade de ensino com o emprego de tecnologias inovadoras na educação

Na tarde desta quarta-feira (24), o vice-governador Lincoln Tejota coordenou mais uma reunião virtual do Comitê Gestor do programa Goiás de Resultados com a titular da Secretaria de Estado da Educação (SEDUC), Fátima Gavioli, e a líder de Resultados na pasta, Osvany Gundim, superintendente do Ensino Médio, para apresentação e apreciação de projetos estratégicos como Goiás TEC e Foco na Aprendizagem.


O Goiás Tec, iniciado em 2019, possibilita levar o conhecimento ao aluno por meio do uso de tecnologia de ponta, e segue ritmo acelerado no cumprimento de uma grande meta: universalizar o Ensino Médio, inclusive em locais de difícil acesso, como zona rural, comunidades quilombolas ou municípios que possuem carências de profissionais habilitados.

Osvany explicou que as aulas serão ministradas por professores especialistas, dentro de estúdios de televisão, e serão transmitidas via satélite e em tempo real. Por esse meio, a primeira série já está implantada em 65 cidades goianas e tem 2013 alunos matriculados em 124 turmas de 98 unidades escolares e extensões de escolas e 30 Coordenações Regionais de Educação (CREs). A previsão para 2021 e 2022 é mais do que triplicar o número de estudantes atendidos.

“Isso me fez lembrar de uma das minhas primeiras viagens como vice-governador de Goiás, em visita à empresa Google de São Paulo, para tratar justamente de iniciativa semelhante, a Google for Education, que favorece o acesso, a permanência e o êxito dos estudantes no Ensino Médio, desenvolve as atividades relacionadas a aplicações dos conhecimentos e habilidades ao longo da Educação Básica e contribui para a universalização do Ensino Médio no nosso estado”, aponta Lincoln Tejota.

Segundo Fátima Gavioli, o Goiás Tec também vai gerar grande economia nos próximos anos. E exemplificou: “Hoje, precisamos mandar transporte escolar para levar três ou quatro alunos, que estão 40 km distantes de suas unidades escolares. Com essa inovação, vamos levar a sala de aula via satélite para onde ele está e ainda estruturar uma turma com as pessoas que deixaram de estudar na idade certa. Sem fadiga ou dispêndio financeiro e com professores muito mais qualificados. Essa prática vai avançar em muitos anos a educação de Goiás”, explicou.

Foco na aprendizagem

Na ocasião, a professora Osvany também apresentou os gráficos, indicadores e relatórios gerais do projeto Foco na Aprendizagem, cujo objetivo é melhorar o hábito do estudo e o conhecimento dos estudantes em Língua Portuguesa e Matemática, além de contribuir para o desenvolvimento das políticas pedagógicas da rede estadual de ensino. “Essa ação reúne resultados de avaliações diagnósticas, que, muito mais do que notas, representam subsídios detalhados para a identificação das reais necessidades dos estudantes, da escola, do município ou das CREs, promovendo o avanço contínuo de todos”, disse a superintendente.


O projeto é tão inovador que mais de 69 mil estudantes do 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental já se preparam para a primeira avaliação digital, marcada para a próxima segunda-feira (29 de março). O formato on-line foi proposto por uma necessidade de adequação aos protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades no combate à proliferação da Covid-19. Os alunos que não tiverem acesso à internet farão a prova por escrito. Via Eleyda Moreira
__________



Para ver mais vídeos do Canal da Lucieni, se inscreva

Postar um comentário

Comentários