Banner

Presente de Natal de Crivella para Bolsonaro


O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella foi preso nesta manhã, 22, por fazer parte de investigação que o aponta como chefe de corrupção durante seu mandato que tem como base o pagamento de propinas

Diante disso o desgaste para os aliados e principalmente para Bolsonaro deve ser desastroso, pois esteve diretamente ligado às campanhas municipais de 2020, inclusive a do Rio de Janeiro. Mas também para o próprio partido no cenário nacional e regional, bem como em Goiânia em que o vice-prefeito de Maguito Vilela tomará posse em alguns dias.

A Prisão

A Desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, determinou o afastamento e a prisão do prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella do partido Republicanos, nesta manhã, de 22 de dezembro de 2010, em que afirma que Crivella comanda uma organização criminosa que atuava na prefeitura durante seu mandato vigente para desviar pagamentos a fornecedores através de propinas. Portanto a menos de 10 dias para acabar seu mandato Crivella foi obrigado a deixar a prefeitura pela porta dos fundos, muito embora durante todo o pleito tenha se desviado de acusações e impeachment, principalmente no auge da pandemia por desvio de verbas, falta de insumos, falta de aparelhamento dos hospitais, a fim de atender as vítimas do coronavírus. Já na semana passada o TCU (Tribunal de Contas da União) havia rejeitado as contas do governo municipal referente ao ano de 2019. Esta reprovação aconteceu pela primeira vez de forma inédita com um governo municipal do Rio de Janeiro.

Defesa

No entanto o prefeito para justificar a reprovação das contas públicas, alega que seu governo herdou de seu antecessor dividas inclusive com o BNDES no valor de 5,2 bilhões e teve receita inferior em 10 bilhões do governo anterior. E, portanto se diz perseguido politicamente e vítima das acusações impostas e de costume cita a rede Globo como oposição ao seu governo da Capital Fluminense. 

Eduardo Paes do partido “Democratas” que foi o antecessor de Crivella será também o sucessor na prefeitura no Palácio da Cidade em 2021.

O Imbróglio

O Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia do partido “Democratas”, que é também do mesmo partido do antecessor e futuro prefeito do Rio, saiu em defesa de Marcelo Crivella que é do partido Republicanos o qual tem como presidente o bispo Marcos Pereira que ocupa a vice-presidência na Câmara dos Deputados Federal. Também saiu em defesa de Crivella o Presidente da República Jair Bolsonaro, no momento sem partido, mas que tem na base de seu governo o“Republicanos”. Para Maia a prisão foi abusiva e não faz sentido, Já para Bolsonaro a prisão é motivada por perseguição da Rede Globo, assim também é o pensamento de líderes da Igreja Universal.

Goiânia e o Poder do “Republicanos”

Em Goiânia o partido da Universal, o “Republicanos”, se infiltra tomando espaços políticos com relevância aos rumos da cidade. Para o próximo pleito teremos não só representantes no Legislativo, mas também no Executivo, haja vista que o vice-prefeito eleito Rogério Cruz é do Republicanos e pastor da Universal. Portanto é possível que a prisão do prefeito do Rio nesta manhã, traga dissabores a política Goianiense. Mas acende um alerta na sociedade para os jogos de poder que o partido se encontra e quem sabe faça com que os cidadãos fiquem de olhos mais abertos para o mandato a se iniciar em 2021 na prefeitura de Goiânia, porém não somente, também ficar de olho na bancada do Legislativo.

O Poder Ruindo

O “Republicanos” de partido nanico aos holofotes do cenário nacional tem pretensões ambiciosas para se tornar um dos 3 maiores partidos políticos do Brasil, com a finalidade de dirigir os rumos do País através da Presidência da República. Neste ano alcançou o 10º lugar em filiação chegando a quase 500 mil filiações. Apesar de ter uma visão alinhada aos conceitos da direita conservadora, não mede esforços em se juntar aos partidos de esquerda para assim estar no grupo de poder, foi assim desde o Governo Lula.

Atualmente faz parte do Governo de Bolsonaro com uma bancada relevante de 31 Deputados e 3 Senadores sendo importante nas decisões e rumos do País, ao lado de outros partidos da base governista. 

Apesar de Bolsonaro, a Record e o próprio Crivella por em dúvida todo o desfecho dos fatos ocorridos nesta manhã. O estrago político fora grande para todos os envolvidos direta ou indiretamente, ou seja, para a Igreja Universal, para Rodrigo Maia e principalmente para o Presidente Bolsonaro, que tem na base aliada o “Republicanos”.

Certamente este não é um bom presente natalino, mas assim quis o destino que Crivella presenteasse o Planalto.



Acesse nosso grupo no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/JBJD6YZE0scBGAqHecmyD6
Conteúdo e Notícias
Leia a descrição

Inscreva-se



Instagram Siga nosso Instagram  

Curta a FanPage

Postar um comentário

Comentários