Banner

Goiânia: Secretaria de Saúde monitora casos de Covid-19 por Telemedicina


Serviço é feito em parceria com a UFG para acompanhar a situação clínica dos pacientes em isolamento domiciliar

A telemedicina tem sido grande aliada da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia no controle da Covid-19

Em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura e as faculdades de Medicina e de Enfermagem, a SMS de Goiânia monitora os casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus e que permanecem em casa, em isolamento domiciliar.

O objetivo do monitoramento, feito diariamente, é acompanhar a situação clínica dos pacientes e quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus.

A médica da SMS de Goiânia Marta Maria Alves da Silva, responsável técnica entre a Vigilância Epidemiológica da SMS e o Telemedicina, salienta a importância desse serviço no sentido de cuidar da saúde física e mental dos pacientes, identificando precocemente sinais e sintomas de alerta ou de gravidade da doença, encaminhando-os para os serviços de saúde, de urgência e emergência, quando necessário e em tempo oportuno.

 "Reforçamos sempre a necessidade do isolamento domiciliar, pois isto é fundamental para que se quebre a cadeia de transmissão do coronavírus. Portanto, o Telemedicina é uma ferramenta fundamental nas ações de vigilância, prevenção e controle da COVID-19", ressalta.

Para isso, foi montada uma estrutura com 26 estações com computador, monitor, linha telefônica e web câmera para o contato com o paciente.

O acompanhamento é feito por equipes compostas por médicos, enfermeiros, psicólogas, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, assistente social e educadores físicos da SMS, além de professores da Faculdade de Medicina e de Enfermagem da UFG.

Em 14 dias o paciente confirmado para COVID-19 e que não apresentar sintomas da doença recebe alta do telemonitoramento. 

Os pacientes COVID-19 positivos e sintomáticos recebem alta após os 14 dias ou mais de monitoramento, desde que estejam assintomáticos por 72 horas. Quando é identificada a necessidade de atendimento presencial, os doentes são encaminhados para os serviços de saúde de urgência e emergência.

O coordenador geral do Núcleo de Telemedicina e Telessaúde da UFG, Alexandre Taleb, destaca a importância do trabalho. "A pandemia acabou evidenciando como a Telemedicina pode ter um papel fundamental no cuidado dos pacientes. Sempre acreditei na Telemedicina e vejo com muito bons olhos o fato de ela agora estar sendo colocada mais à disposição da população”

Fonte: Prefeitura de Goiânia / Valéria Almeida, da Diretoria de Jornalismo
__________


Publicidade



Para ver mais vídeos do Canal da Lucieni, se inscrevam

Postar um comentário

Comentários