Concurso ‘Paz na Escola – Eu Curto!’, do MP-GO, premia 12 escolas

fevereiro 26, 2018

Concluindo uma das primeiras iniciativas do Projeto MP Amigo, desenvolvido pelo Ministério Público de Goiás com o objetivo de aproximação com a comunidade escolar, foi realizada nesta segunda-feira (26/2) a cerimônia de premiação do concurso “Paz na EscolaEu Curto!”, realizado ao longo de 2017. A solenidade lotou o auditório do edifício-sede do MP em Goiânia, que recebeu um público diversificado e animado, formado por alunos e professores de algumas das escolas premiadas, autoridades estaduais e municipais, além de membros e servidores da instituição.

O certame organizado pelo MP contemplou 12 unidades de ensino da rede pública em Goiás (municipal ou estadual) que apresentaram os melhores projetos de inclusão digital e de promoção da cultura da paz. Elas foram premiadas com entre 15 a 20 computadores (cada escola), todos com monitor, do modelo Lenovo ThinkCentre M57p, usados, recentemente substituídos por outras máquinas nos órgãos do MP-GO e que se encontram em perfeito estado de funcionamento e conservação. Os equipamentos foram entregues no final da solenidade. Como parte da premiação, os diretores das escolas e professores responsáveis pelo projeto contemplado também receberam certificados de reconhecimento.

Na cerimônia, as escolas premiadas foram mencionadas uma a uma pelo chefe da Assessoria de Cerimonial, Sandro Mathias, e seus representantes convidados a subir ao palco e receber os certificados, entregues por integrantes do MP. Entre as 12 unidades de ensino vencedoras estavam 3 de Goiânia (municipais) e outras 9 de cidades do interior: Cidade de Goiás (estadual), Jaraguá (municipal), Itauçu (estadual e militar), Uruana (estadual), Itapuranga (municipal), Santa Rita do Araguaia (municipal), São Luís de Montes Belos (estadual), Itaberaí (municipalizada) e Ceres (estadual). Em relação a Ceres, a escola premiada tem um diferencial, levado em consideração pela comissão julgadora: ela é uma unidade que funciona dentro da unidade prisional da comarca.

Entrega dos certificados

Para entrega da premiação, foram mobilizados, pelo MP-GO, o procurador-geral de Justiça, Benedito Torres Neto; o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Administrativos, Carlos Alberto Fonseca; a coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Educação e idealizadora do projeto, Liana Antunes Tormin; o chefe de Gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, Jales Guedes Coelho Mendonça; as procuradoras de Justiça Zoélia Antunes Vieira e Eliane Ferreira Fávaro; o coordenador do Centro de Apoio Operacional de Combate à Corrupção e Defesa do Patrimônio Público, Bruno Barra Gomes, e os promotores de Justiça Maria Bernadete Ramos Crispim (Goiânia), Edivar da Costa Muniz (Goiás), Giuliano da Silva Lima (Jaraguá), Rafael Massaia dos Santos (Uruana), Felipe Feres (Itapuranga), Wessel Teles de Oliveira (São Luís de Montes Belos) e Paulo Henrique Otoni (Itaberaí).

Entre os servidores, participaram da premiação alguns que estiveram diretamente envolvidos na viabilização do concurso, como o diretor-geral do MP, Frederico Guedes Coelho; a superintendente de Gestão Orçamentária e Compras, Helena Maria Adorno Macedo; os integrantes da Assessoria de Comunicação Social Wesley César e Francisco Santos; Maria Regina dos Santos Nunes, chefe do Departamento de Material e Patrimônio, e os componentes da comissão julgadora: Mariabe Silva (analista em educação), Higor Santos Leal (analista em engenharia), e Weuller Jacomini (chefe do Departamento de Atendimento ao Usuário da Superintendência de Informática). Integraram ainda essa comissão a coordenadora do CAO Educação e assessora do CAO Infância Ana Clara Bonach.

Dos convidados do MP, fizeram parte dessa etapa de premiação o secretário municipal de Educação de Goiânia, Marcelo Ferreira da Costa, que também é presidente para a Região Centro-Oeste da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime); a gerente de Projetos Transversais da Secretaria Estadual de Educação (Seduce), Sílvia de Freitas Alves, e o coronel Anésio Barbosa da Cruz, coordenador dos colégios militares de Goiás.

Aproximação 

Ao dar as boas-vindas ao público no início da cerimônia, o procurador-geral de Justiça, Benedito Torres Neto, lembrou as palavras do papa João Paulo II e resgatadas pelo papa Francisco, sobre a importância de derrubar muros e construir pontes. “Construir pontes é derrubar aquilo que nos divide, o que não é afeto”, ressaltou, fazendo analogia com o projeto MP Amigo. Lembrando da proposta da iniciativa, ressaltou ser o concurso apenas o primeiro passo da aproximação do Ministério Público com a comunidade escolar.

O procurador-geral aproveitou para exibir o vídeo de uma outra campanha ligada ao projeto e iniciada neste mês, de combate ao bullying, que pretende fomentar o envolvimento dos estudantes e de toda a comunidade escolar nas ações de prevenção e combate à violência nas escolas. Sobre o concurso Paz na Escola, Benedito Torres salientou ter sido um projeto viabilizado a partir da mobilização de vários parceiros. “Com essa e outras iniciativas, o Ministério Público de Goiás reafirma o seu compromisso social e o propósito de contribuir decisivamente para a melhoria da educação goiana”, asseverou.

Também anfitriã do evento e uma das idealizadoras e incentivadoras do concurso, a coordenadora do CAO Educação contou um pouco de como foi concebido o MP Amigo e a ideia do certame, com a premiação das escolas pelos projetos e inclusão digital e incentivo à cultura da paz. Ela sublinhou o fato de o concurso ter sido divulgado para cerca de 4 mil escolas no Estado, resultando em 37 inscrições de projetos. E pontuou que, passada essa etapa da premiação, o desafio será colocar as iniciativas premiadas em prática, no que poderão contar com o apoio do MP. Mencionou ainda outras ações em curso voltadas para a pacificação do ambiente escolar.

Também discursou na ocasião o secretário municipal de Educação, Marcelo Ferreira da Costa, pontuando a importância do estímulo à cultura da paz. “Que possamos fazer da escola um lugar melhor e que ela possa ser um reflexo para o mundo, para que tenhamos força para mudá-lo”, desejou.

Essa etapa inicial do evento contou com uma apresentação especial do grupo Coro Cênico, uma das formações musicais do Centro de Estudos e Pesquisas Ciranda da Arte, da Secretaria Estadual de Educação (Seduce). Com oito cantores e quatro instrumentistas, o grupo mostrou pot-pourri de músicas dos Beatles, animando a plateia: Ticket to Ride, Penny Lane, Drive My Car e, finalizando, Twist & Shout.

Passagem para o futuro 

O destaque no encerramento da cerimônia foi a palestra apresentada pelo doutor em Psicanálise e psicólogo clínico Rossandro Klinjey, sobre o tema Educando para a Paz. Diante do público diversificado, formado por adultos e crianças, o palestrante já deu o seu recado: “vou falar, então, para os jovens”. A partir de então, numa linguagem informal, direta e de fácil compreensão pelos estudantes, buscou ressaltar para esse público a importância da educação para o desenvolvimento de verdadeiros cidadãos. “A única coisa que leva você ao futuro é a escola”, alertou.

Abordando questões como bullying, exclusão social, ambiente de violência, ambições, superproteção familiar, exposição a redes sociais, deu seu exemplo de vida para passar a mensagem de que estudar vale a pena e pode mudar uma realidade. “Temos de educar as crianças para que elas possam criar possibilidades para si mesmas. Para que possam suportar a vida como ela é e possam contribuir para o mundo. Para isso, é preciso limites. E que aprendam a respeitar”, defendeu.

A. C. Social do MP-GO)

Post: Lucieni Soares
Próxima Postagem
« Próxima
Postagem Anterior
Anterior »

Comente com o Facebook: