UFG espera apuração isenta dos fatos ocorridos na última sexta

3.5.17

No dia 28 de Abril de 2017, houve manifestações por todo o Brasil contra as reformas Trabalhistas e da Previdência, e Goiânia também foi palco deste movimento, mas um lamentável fato ocorreu com um estudante que fazia parte dos manifestantes, trata-se do aluno Mateus Ferreira da Silva de 33 anos, oriundo de Osasco-SP, formado em Ciências da Computação naquele Estado e fazendo a sua segunda faculdade desde 2014 na UFG. Portanto o Curso de Ciências Sociais do qual faz parte bem como toda a comunidade Acadêmica da Universidade Federal de Goiás está consternada e indignada pelo fato dele ter sido agredido durante a manifestação por um policial militar, e óbvio pela gravidade ocasionada pelo ato, trazendo riscos à sua vida.
Mateus Ferreira da Silva - Foto: Facebook
Neste dia, os movimentos liderados pela CUT e partidos de esquerda em todo o Brasil estiveram presentes em muitas cidades do Brasil. Em Goiânia parecia que teríamos manifestações em paz e quando já estariam para se dissiparem no centro da capital, começou um tumulto generalizado em que manifestantes e policiais entraram em choque e os ânimos se exaltaram restando para o lado dos manifestantes um grave e vexatório fato em que o policial Capitão Augusto Sampaio da PM do Estado de Goiás acertou com um cassetete de madeira um dos manifestantes identificado como o estudante da FCS (Faculdade de Ciências Sociais da UFG) Mateus Ferreira da Silva. O referido policial com seu cassetete atingiu a cabeça na parte frontal de Mateus, em que o cassetete quebrou ocasionando o traumatismo crânio-encefálico com múltiplas fraturas na face. Desta feita o referido aluno deu entrada à UTI do Hospital de urgências (HUGO) no dia 28 de abril do corrente, tendo no mesmo dia passado por cirurgia para reconstrução da face, e até a divulgação do último boletim médico antes dessa publicação, foi informado que o paciente Mateus Ferreira da Silva, continuava sedado, mas com melhoras em seu quadro clínico.

A Secretária de Segurança Pública do Estado de Goiás condenou com veemência as agressões e defendeu o direito Constitucional e Legítimo de se manifestar de forma pacífica e ordeira, tendo aberto investigação a fim de apurar os fatos. Diante disso o Capitão Augusto Sampaio, agressor do estudante está em função administrativa até que os fatos sejam apurados.

A Universidade Federal de Goiás através do Reitor em exercício Professor Manoel Rodrigues Chaves em oficio do dia 02/05/2017 nº 0397/2017/GAB/UFG encaminhado ao Srº. Ricardo Brisolla Balestreri, Secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás, informa o repúdio contra o ato de violência e solicita esclarecimentos, na integra:

A Universidade Federal de Goiás- UFG repudia a violência sofrida pelo estudante de Ciências Sociais desta instituição, Mateus Ferreira da Silva, seriamente agredido por um policial militar durante manifestação no Centro de Goiânia, no dia 28 de abril de 2017.

Confirmada e comprovada a autoria do ato, a comunidade universitária solicita, além da punição administrativa, tendo em vista as circunstancias do lamentável episódio, a responsabilização criminal do agressor.

A UFG reitera sua trajetória histórica do direito à democracia e condena, com veemência, atos de violência, que impedem a livre manifestação da sociedade, como os que ocorreram no referido dia. A instituição acompanhará o processo de apuração dos fatos e espera tratamento exemplar e isento por parte da Secretária de Segurança Pública deste Estado.

Atenciosamente assina o Vice Reitor no exercício da Reitoria Professor Manoel Rodrigues Chaves .



Por Antonio Oliveira

Postagens

Anterior
« Anterior
Próxima
Próxima »

Comente com o Facebook: