Banner

Como evitar vexame na festa de fim de ano da empresa


Com o cenário epidemiológico da pandemia da Covid-19 mais favorável, aumenta a possibilidade de empresas promoverem as tradicionais festas de fim de ano

Gestor de carreiras prepara dicas de comportamento na confraternização

O objetivo das festas de confraternização das empresas no final de ano é integrar a equipe de colaboradores e aumentar a autoestima para mais um ano de jornada. Porém, o exagero sempre ocorre e o filme acaba queimado. O resultado no dia seguinte é de deixar qualquer um com a cabeça cheia por conta dos comentários. O gestor de carreiras e professor universitário, Ricardo Machado, preparou dicas para o funcionário curtir a comemoração sem arranhar a imagem pessoal e profissional.

Ricardo Machado

Machado abre os caminhos destacando aquela sensação de que estamos em um território livre. Nada disso. “A descontração provocada por uma boa música, a oferta de bebida alcoólica, e os ânimos mais descontraídos, não devem servir para esquecer a regra básica: festa na empresa é um ambiente empresarial”, lembra. O gestor de carreiras frisa que o colaborador deve ter cuidado para que a sensação de leveza não proporcione um poder e uma permissão que não existem na prática.

E a paquera está liberada? Para Machado, a ocasião não é a mais recomendada. É que o evento não foi pensado para esse tipo de intenção, entende? Difícil, não?! “A confraternização da empresa objetiva o fortalecimento do clima organizacional e não o beijo na boca”, explica Machado com um sorriso maroto. Então tá! E aquele pedido de promoção, de aumento de salário?! Sem chance. Nada disso faz parte desse momento “zen”.

Se você é aquele carinha ou aquela menina que gosta de ficar soltando palavras ao vento, é bom maneirar. O gestor Machado recomenda cuidados com as expressões e insinuações. Ele diz que essas composições podem ser nitroglicerina pura. “Bem colocadas, as palavras são impulsos às carreiras até mesmo em acontecimentos festivos, mas liberadas de forma descuidada, ou irresponsável, provocam problemas e constrangimentos já na primeira semana do ano novo”, alerta.

O especialista ainda deixa uma última dica à confraternização de final de ano: “O evento é uma extensão da empresa e não de um bar, de uma boate, da casa de um amigo. Lembre-se que todos vão se encontrar no primeiro dia útil após a festa”, finaliza.


Assessoria de Imprensa Fernando Fraga
----


Acesse nosso grupo no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/JBJD6YZE0scBGAqHecmyD6
Conteúdo e Notícias
Leia a descrição

Inscreva-se



Siga nosso Instagram  

Curta a FanPage

Postar um comentário

Comentários