Um revolucionário ou um Ditador implacável?

26.11.16

Morreu aos 90 anos Fidel Castro, de morte natural nesta sexta feira (25) as 22:29, líder da Revolução Cubana junto com Che Guevara. Foi um protagonista do cenário mundial tendo sido uma figura bastante representativa principalmente durante a guerra fria, pois estreitou laços com a Rússia fazendo oposição direta aos Estados Unidos. Tido como uma figura controversa, sendo amado e odiado em que seus opositores foram perseguidos e executados.
Foto tirada durante o fórum de São Paulo em 2004
O Regime e seu fracasso

Até os anos 90 Cuba recebia auxilio de recursos da RUSSIA, mas com o fim do sistema comunista, as dificuldades começam a aparecer e a população passa a ter dificuldades de abastecimento, acentuada pelo embargo norte-americano a situação de pobreza cresce deixando a população em condições miseráveis. Não obstante as faltas de condições para o consumo, também a falta de liberdade de seus cidadãos.

Mudanças com o regime Raulista

Mas nos últimos dez anos com o afastamento de Fidel Castro e a substituição paulatina do líder do Governo culminando em 2011 com a escolha de Raul Castro como primeiro secretario do Partido Comunista as mudanças socialistas foram sendo realizadas sem grandes rupturas ou traumas, culminando com a abertura de setores da iniciativa privada, maiores facilidades de investimento do capital estrangeiro e fim das restrições que afetaram os cubanos ao longo de todo o regime do comunista, tendo mais abertura para negociações . Em 2013 com a reforma migratória foi possível que famílias fragmentadas ao logo deste tempo pudessem se juntar. Com estas medidas Cuba passa a ter uma nova cara em que pequenos negócios são abertos como restaurantes, hotéis, salões de beleza entre outros começam a emergir.

Aproximação com a Europa e o ápice com Presidente dos Estados Unidos
Foto: Reprodução/GloboNews
O auge desta abertura ocorre com a aproximação de Cuba de Raul Castro com a União Européia culminando e pegando de surpresa os próprios cubanos o estreitamento das relações entre Estados Unidos e Cuba em que Barak Obama no dia 22 de março do corrente, em seu terceiro dia de visita a Ilha, depois de 88 anos sem que um Presidente Americano a visitasse, em seu discurso no Gran Teatro de Havana, promete trabalhar com o Congresso americano contra o embargo econômico e pede que os cubanos possam ter liberdade de expressão e religião. 

Alguns pontos não são factíveis de resolução de imediato, pois Cuba se nega a mudar a forma política em que um único partido detém condições de poder, assim como os Direitos Humanos em que os Estados Unidos vê como ponto de melhorias como o fim das prisões dos dissidentes políticos, porem Cuba não vê assim. E acentua que os direitos humanos são a forma como protegem seus cidadãos através da educação universal e da saúde.

O futuro de Cuba pós Fidel
EPA/OMARA GARCIA MEDEROS
Há incógnitas quanto ao futuro de Cuba, entretanto há de se saber que os Cubanos não serão mais os mesmo depois desta data. A passagem de Fidel Castro considerado por muitos como um líder que acreditava firmemente em suas convicções e responsável por trazer a guerra fria para a América, fora odiado e amado e isso se viu com o anuncio de sua morte. Há uma década em que seu irmão passou a ocupar o posto maior do regime politico Cubano, cientistas políticos acreditam que Fidel corroborou para não atrapalhar as mudanças realizadas por Raul Castro e, portanto pode se esperar não rupturas, porém que as mudanças hão de continuar acontecendo.


Postagens

Anterior
« Anterior
Próxima
Próxima »

Comente com o Facebook: