Ser mãe e ser mulher

13.5.17

Oi gente tudo bem? Nesse domingo comemoramos o dia das Mães. Data que além de ativar a economia, reforça os laços afetivos. A comemoração surgiu nos EUA, na Igreja Metodista, e se espalhou pelo mundo todo.

A mulher desde a sua primeira ovulação já pode engravidar. Existem casos registrados de meninas de oito anos que ficaram grávidas. Mas, apesar do corpo possibilitar uma gestação, longe disso é afirmar que um criança está preparada para a maternidade.

Ser mãe é um desafio. Exige-se responsabilidade, planejamento financeiro e dedicação. A vida muda substancialmente, desde o primeiro dia da gravidez a mulher precisa entender que nada será como antes.

O quê muda?

Muitas coisas. As modificações já começam na gestação:
*A alimentação precisa ser saudável;
*O consumo de álcool, cigarro e drogas é proibido, pois podem deixar sequelas no bebê;
*A prática de exercícios deve ser moderada;
*O uso de tinta no cabelo precisa ser analisado;
*Dirigir e viajar a partir do 8° mês não é aconselhável;
*Muito cansaço, calor e vontade de dormir.

Cada mulher reage de uma maneira. Outras alterações são o aumento de peso, inchaço, estrias e pele com algumas manchas.

Mãe X Mulher

A mulher que torna-se mãe passa por vários momentos de insegurança. A cabeça vira uma loucura. Dentro dela, parece que há duas pessoas brigando. De um lado, a materna, do outro, a mulher que quer viver a vida. Qual mãe já não teve a dúvida: “Vou ao salão fazer a unha ou fico em casa, cuidando do filho?

Ir à acadêmia, sair para namorar com o marido ou tirar um tempo com as amigas é complicado para elas. Até ir ao mercado ou comprar roupas vira um conflito. Nos momentos de ausência é necessário oferecer a criança outro leite, fora o materno, muitas mulheres choram e sentem-se culpadas por isso. Não é fácil afastar-se dos filhos.

Uma das situações mais difíceis é quando elas voltam ao trabalho e precisam decidir, se vão investir na carreira profissional. Todos nós sabemos que as oportunidades na vida são únicas. A realidade é dura. O mercado de trabalho não vai esperar o filho ter 18 anos para dar chance as mães crescerem na carreira. A dúvida sobre qual decisão tomar é enorme. Algumas procuram ajuda de psicólogos para tentar equilibrar os pensamentos.

As mulheres que trabalham ou se ausentam de casa, na maioria da vezes, sentem-se culpadas. Mas há também, aquelas que nunca deixaram o lar e que também estão tristes. Nesse caso, elas arrependem-se por abrir mão de seus sonhos e imaginam como teria sido a vida se tivessem corrido atrás deles.

Existe solução?

Não existe uma fórmula correta de ser mãe e mulher. Cada uma tenta na medida do possível equilibrar esse paradoxo. Sabemos que é normal ter incertezas. Entretanto, o instinto e a razão estão aí para nos ajudar. Além disso, o apoio do cônjuge, da família, do trabalho e dos amigos colaboram para que as coisas sejam mais fáceis.

De todos os conflitos que as mulheres passam, uma coisa é certa, o amor de mãe não se mede pela localização geográfica, mas sim pelo fato que, em qualquer situação, seu filho sempre estará em primeiro lugar no seu coração.

Feliz dia das mães!!!

Espero que tenha gostado do post!

Até o próximo, tchau!

Acho que você vai gostar de: Como ser “Uma linda mulher” e Mães são anjos de resgate

Por Danielly Chaves
https://daniellychavesblog.wordpress.com/

Postagens

Anterior
« Anterior
Próxima
Próxima »

Comente com o Facebook: